FOTOJORNALISMO As 10 Melhores Fotos da Hist?ria atrav?s das Lentes.Por FL?VIO LUCIO .Foto:Eddie Adams

16/03/2015 09:41

A fotografia tem sua trajetória através da técnica, da tecnologia, e no processo gradativamente de baixo custo e mais acessível a todos. Desde a captura de Niépce, depois a portabilidade da Kodak, a instantaneidade da Polaroide, até a proliferação de celulares com câmera, o ato de guardar o momento, flagras cotidianos, tornou o mundo banalizado, qualquer um pode ser fotografo. "Até um chimpanzé com um bom aparato faz uma fotografia tecnicamente perfeita. Mas ele é incapaz de elaborar um discurso sobre aquela imagem. Nesse sentido, o legitimador da fotografia é o fotógrafo, que pode passar um olhar, uma experiência por meio da imagem" define o professor e fotógrafo Saggese a Iurd.

Fato é que a fotografia com um olhar treinado remonta não só aquele fragmento de realidade, mas é um registro social, filosófico, que vai além das palavras. Não dá para ver a menina afegã de olhos verdes e não ficar hipinotizado, não da para não ter compaixão pela criança que agoniza de fome enquanto um urubu espera sua morte, não dá para não se simpatizar com a ativista que oferece uma flor ao exército. O fotojornalismo além de capturar imagens, registra a história. 



 As 10 melhores e mais famosas fotos jornalisticas que inspiram e questionam a sociedade:


Marc Riboud flagrou a ativista com uma flor na mão querendo dar aos guardas do pentágono durante protesto contra a guerra no Vietnã, tornando-se simbolo do movimento Paz e Amor.


Intitulada "Rebelde Desconhecido" mostra a luta de apenas um homem tentando impedir o avanço dos tanques de guerra na China, em 1989, contra os protestos dos estudantes.

"A morte a espreita" uma das fotos mais chocantes sobre a fome e miséria na áfrica, de uma  criança falecendo enquanto um urubu espera sua agonia. O sudanês Kevin Carter ganhou o prêmio Pulitzer, mas ficou atormentado pela pergunta de por qual motivo não ajudou a criança da morte, e cometeu suicídio.



Eddie Adams registrou o momento decisivo, o instante exato da execução de um guerrilheiro vietcong por um chefe de policia em Saigon.


Em forma de protesto contra a repressão politica contra a religião budista no país, em 1963, em praça pública de Saigon - Vietnã, o monge Thich Quang Duc ateou fogo contra si mesmo.


Kim Phuc é a menina que ficou eternizada pela fuga e choro, além da fragilidade exposta por estar nua, correndo para se salvar dos bombardeios realizados pelo exército estadunidense no Vietnã.


O fotógrafo Joe Rosenthal ganhou o Pulitzer ao acompanhar uma frota do exército durante a guerra, e tirar a foto que demonstra a busca do poder americano sobre o território alheio com a foto "Levantando a Bandeira em Irojima".



O retrato do nobre Winston Churchill que esteve na capa da revista Time, durante entrevista, foi uma das imagens mais reproduzidas do mundo, e expressa a fragilidade e rudes conservadora de um homem que olha o mundo a sua volta enquanto o tempo deteriora o seu corpo.


"Fonte de água da segregação" de 1950, flagra a época da segregação racial na carolina do norte e em todo  o EUA, ao mostrar a separação do espaço social até para compartilhar um bebedouro. White e Colored, bebedouro para branco e para os de cor.




Sharbat Gula, a menina afegã é a Mona Lisa dos tempos modernos, responsável do olhar mais penetrante capturado por uma fotografia, tirada por Steve McCurry, que repetiu o feito em 2002 com a então mulher que ganhou mais amargura e dor na vida e ainda mantém os olhos penetrantes e mais tristes.fonte:http://jornalismoproibido.blogspot.com.br/

Compartilhas Noticia

Tags

Comentários

Comentários

Escrever Comentário

35662

Subscribe to see what we're thinking

Subscribe to get access to premium content or contact us if you have any questions.

Subscribe Now