Projeto Imagem Sem Fronteiras, pr?xima exposi??o: Andr? Liohn - Ganhador do Robert Capa Gold Medal 2012. Galeria Olho de ?guia (CNF 01, Edif?cio Praiamar, Loja 12 ? Taguatinga Norte) 30 de agosto (quinta-feira), ?s 21h

17/08/2012 12:53

 Exposições - Convidados do Projeto Imagem Sem Fronteiras.

Próxima exposição: André Liohn - de 3C0 de agosto a 25 de julho


André Liohn nasceu em Botucatu (SP) e mora atualmente na Itália. É correspondente de guerra freelancer há mais de uma década, atuando como cinegrafista, fotojornalista, produtor e diretor. Seus vídeos e fotos já foram publicados em grandes jornais e emissoras de TV, como The New York Times, The Guardian, El País, Estado de S. Paulo, Folha de São Paulo, BBC, CNN, Al Jazeera Inglês e France 24.

Foto: intercossblog

Além de empresas de comunicação, André Liohn fotografa para a organização de defesa dos direitos humanos Humans Rights Watch. Foi para essa instituição que produziu a série de imagens da cidade sitiada de Misrata, na Líbia. O trabalho foi premiado, em abril de 2012, com oRobert Capa Gold Medal, tornando-o o primeiro brasileiro, e sulamericano, a ser contemplado pelo Prêmio, que existe desde 1955.
 
Com mais 10 premiados fotógrafos de guerra, Liohn criou o projeto ADIL, que coleta doações para os líbios, a partir da renúncia de direitos autorais de fotos feitas na guerra civil. Como afirma o próprio fotojornalista, seu trabalho vai além do registro e tem como objetivo ajudar o povo líbio. “Acredito que a documentação visual da vida é um fator decisivo na forma como entendemos o mundo ao nosso redor”.



Dia 7 de agosto: João Wainer - Exibição do doc "Pixo"
 
Fotógrafo desde os 16 anos, João Wainer começou a fazer foto e vídeo distintamente. Com o lançamento das novas câmeras fotográfica que filmem em alta resolução, viu a chance de unir as duas linguagens. Em 2010, no jornal Folha de São Paulo, onde atualmente é editor de fotografia, produziu suas primeiras experiências de reportagens utilizando fotografia e vídeo, e desde 2011 adotou a nova linguagem editorial.

Foto: Fórum Eletronika

Natural de São Paulo, Wainer foi assistente do fotógrafo Bob Wolfenson em 1994/95 e em 1996 ingressou na equipe de fotógrafos do jornal Folha de S.Paulo. Venceu o Premio Folha de reportagem em 2001 e o Premio Folha de Edição em 2008. É diretor dos documentários “A Ponte” e “Pixo”. Seu vídeo “Marginália” foi exibido no Festival Reencontre d’Arles, na França. Suas fotos fazem parte da coleção Pirelli/MASP de fotografia desde 2008."


Em andamento: Paulo Nunes dos Santos - de 27 de julho a 25 de agosto
Paulo Nunes dos Santos nasceu em Portugal e atualmente reside em Dublin, na Irlanda. Formado na Universidade Autônoma de Lisboa, com mestrado em Ciências da Comunicação/Jornalismo, documenta desde 2002 questões humanitárias e políticas em várias regiões do mundo. Com apenas 35 anos, é testemunha ocular de  acontecimentos sociais no Oriente Médio, África Central, Cáucaso, Sudeste Asiático e América do Sul.
Como freelancer, possui publicações no The New York TimesThe Guardian,El PaísBBCNew York Post, além de uma variedade de revistas e sites. O fotojornalista é também correspondente internacional do Expresso Português e realiza trabalhos para organizações internacionais de trabalho social e humanitário, como o ACNUR, Landmine Action, Simon Dublin Comunidade e Handicap International.
Fora dos veículos de imprensa, Paulo Nunes dos Santos é membro do Foto Gaia, coletivo formado por fotojornalistas e fotógrafos documentais de vários países. Colabora ainda com a Agência Foto 4SEE. Já realizou diversas exposições, entre elas estão mostras em Londres, Irlanda e Portugal. Conheça mais sobre o fotógrafo no sitewww.paulonunesdossantos.com.


Encerrada: Evandro Teixeira - de 29 de junho a 21 de julho
 
Nascido em Irajuba, no interior da Bahia, em 1935, Evandro Teixeira soma 55 de fotojornalismo. Desde o início da carreira, em 1957, foram centenas de coberturas, prêmios internacionais, seis livros publicados e exposições realizadas no Brasil e no exterior. Entre as premiações que recebeu estão o Prêmio Especial da Unesco no Concurso Internacional "A Família", em Tóquio (1993), e os Prêmios do Concurso Internacional da Nikon, no Japão (1991 e 1975), e da Sociedade Interamericana de Imprensa, em Miami (EUA), com a lendária foto “A queda da moto.”

Foto: Sayão, Agência EFE

No primeiro livro lançado, “Fotojornalismo”, estão registros de acontecimentos marcantes, desde a década de 60, fundamentados por textos exclusivos de autores Carlos Drummond de Andrade. Publicou ainda “Canudos, 100 anos” (1997); “O Livro das Águas” (2002), com o impacto do programa de irrigação na vida dos sertanejos do Rio Grande do Norte; “Vou Viver” (2004), com fotos sobre a morte do poeta chileno Pablo Neruda e registros da ditadura chilena da década de 70; e “68 Destinos/Passeata dos 100 mil” (2008), com cenas do Golpe Militar do Brasil.
Em 1994, Evandro teve seu currículo incluído na Enciclopédia Suíça de Fotografia. Suas fotos também integram o acervo de museus da Suíça e da Colômbia, além do Museu de Arte Moderna do Rio de Janeiro, do Masp e do Museu de Arte Contemporânea, ambos em São Paulo. Realizou exposições individuais nas principais capitais do mundo e em várias cidades do Brasil, além de ser jurado de prêmios nacionais e internacionais de fotografia/jornalismo. Em 2004, teve sua vida e obra retratada no documentário “Evandro Teixeira: Instantâneos da Realidade”. Desde 1963, fotografa para o Jornal do Brasil.

Encerrada: Severino Silva - de 25 de maio a 9 de junho
 
Nascido em Pirpirituba, sertão da Paraíba, Severino Silva tem uma das trajetórias mais importantes no fotojornalismo brasileiro. Com 53 anos de idade e 22 anos de profissão, o fotógrafo tem nas questões sociais e na ética a matéria-prima de sua documentação jornalística, principalmente na cobertura de conflitos urbanos das favelas cariocas. 
 
 
É considerado no Brasil e na Europa como um dos mais importantes fotojornalistas de hard news em atividade, estando na lista dos melhores fotógrafos de crimes urbanos reconhecidos pelo jornal inglês The Guardian. No currículo, estão passagens pelos jornais O FluminenseA NoticiaO PovoO Globo e, atualmente, no O Dia
 
Já conquistou prêmios consagrados, como o Nikon (91/92), o 6º Salão de Fotografia e o Líbero Badaró, dentre outros que o fizeram ser reconhecido mundialmente no mundo da reportagem fotográfica. Severino Silva acredita que a arte de fotografar vem de um dom e da união entre o olhar e a técnica.


Encerrada: Gervásio Baptista - de 28 de abril a 12 de maio

O baiano Gervásio Baptista deu seus primeiros cliques ainda aos 9 anos de idade, quando trabalhou no laboratório fotográfico de um amigo do pai. Nascido em Salvador, o repórter fotográfico soma em seu currículo fotos polêmicas de todos os presidentes nacionais, desde os anos 50, momentos inesquecíveis de copas do mundo e registros de fatos marcantes do cotidiano e da história nacional e mundial, como a Guerra do Vietnã. 


A carreira sólida do fotojornalista iniciou nos anos 40, quando recebeu uma proposta de emprego de Assis Chateaubriant, depois de recusar-se a devolver um filme fotográfico contendo poses constrangedoras do empresário. Nessa trajetória, cobriu revoluções, guerras, idas e vindas de presidentes e regimes políticos. Entre suas principais fotos estão a de Juscelino Kubitschek com a cartola na mão, durante a inauguração de Brasília, e a polêmica foto de Tancredo Neves no hospital, após a cirurgia que o afastou da presidência.

Parte de sua obra se perdeu, mas, ainda hoje, aos 88 anos de idade, Gervásio Baptista continua a clicar as entranhas da história política nacional. Em 2008, o Supremo Tribunal Federal promoveu a exposição Gervásio Baptista - 50 anos de fotografia. As fotos expostas podem ser vistas no site do STF.

Compartilhas Noticia

Tags

Comentários

Comentários

Escrever Comentário

64441

Subscribe to see what we're thinking

Subscribe to get access to premium content or contact us if you have any questions.

Subscribe Now